segunda-feira, 31 de março de 2014

♫♪ O Sarau estará presente na 25ª Feira do Livro. Anote na sua agenda e venha prestigiar! ♫ ♪


Localizada mãe de homem que teve o corpo esquartejado na Capital

Ao ser informada da morte do filho, a mulher entrou em estado de choque

 A Polícia Civil localizou, em uma cidade não revelada no interior gaúcho, a mãe de um homem de 25 anos que teve o corpo esquartejado em seis partes e jogado dentro de um contêiner de lixo orgânico, no Centro de Porto Alegre. O delegado Felipe Bringhenti, da 2º Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa da Capital, explica que o corpo foi reconhecido pelo Departamento de Identificação da Polícia Civil, através das impressões digitais, e que ao ser informada da morte do filho, a mulher entrou em estado de choque e não conseguiu mais falar ao telefone. A mãe da vítima deve ser procurada em casa pela Polícia.

O delegado adiantou que as câmeras públicas existentes no entorno da rua Alberto Bins, onde fica o contêiner, não ajudaram na investigação. A Polícia examina, agora, imagens de equipamentos privados existentes no local. Em um segundo contêiner, a uma quadra de onde o corpo foi deixado, foram encontrados uma faca, um estilete e uma almofada com resquícios de sangue. O DNA do material vai ser analisado para atestar se há ligação entre os casos, explica Bringhenti. Não há prazo para que o resultado seja divulgado.

A Polícia ainda tenta esclarecer onde o homem vivia e se tinha emprego fixo e era casado, por exemplo. O delegado ainda mantém em sigilo a identificação do corpo, que foi dividido em seis partes - crânio, tronco, pernas e braços - e colocado em sacos de lixo. Uma catadora localizou o cadáver, nesse domingo. A suspeita é de que o crime tenha ocorrido na noite passada.



Fonte: Rádio Guaíba

Problema em alimentadora deixa 5 mil clientes sem luz na Capital

São atingidos moradores do Menino Deus, em ruas como Getúlio Vargas, Marcílio Dias e Gonçalves Dias

 Um problema em uma alimentadora da rede deixa 5 mil consumidores da Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE) sem luz na tarde desta segunda-feira em Porto Alegre. De acordo com a assessoria de imprensa da concessionária, pela manhã foi constatado um dano que causou desabastecimento para 2,1 mil pontos no bairro Menino Deus. Por volta das 12h40min, o conserto foi finalizado, mas em seguida houve nova falha. Com isso, o número de afetados aumentou.

São afetados pelo corte moradores de ruas como Getúlio Vargas, Marcílio Dias e Gonçalves Dias. Há sinaleiras desligadas na José de Alencar, nos cruzamentos com a Bastian e com a Getúlio Vargas, e na Ipiranga com a Erico Veríssimo e a Azenha.

A empresa garante que técnicos estão no local tentando localizar o novo ponto que apresenta problemas, para que seja efetuado o reparo.

Hoje, os eletricitários da concessionária decretaram greve, no entanto a companhia ressalta que a paralisação não afeta o conserto. Ainda não há previsão de que o serviço seja normalizado na região.


Fonte: Rádio Guaíba 

Presidente Dilma cumprimenta os prefeitos José Fortunati e Henrique Tavares e diz que os dois municípios são os pontos geográficos da Segunda Ponte. Acompanhe discurso

Assinado contrato de construção da nova ponte sobre o Guaíba

Estimativa é de que obra inicie em junho e esteja concluída em três anos

Dilma Rousseff e Tarso Genro firmaram contrato das obras da ponte do Guaíba nesta manhã
Crédito: Roberto Stuckert Filho / PR / Divulgação / CP
 
A presidente Dilma Rousseff assinou na manhã desta segunda-feira o contrato para a construção da nova ponte sobre o rio Guaíba de Porto Alegre. A estimativa é de que a obra comece em junho e esteja concluída em três anos. A presidente havia anunciado a construção na quinta-feira em coletiva para rádios gaúchas, entre elas a Guaíba.

"Há sempre um ou outro compromisso que acaba ganhando peso significativo na nossa agenda. Na minha, adquiriu peso significativo a segunda ponte do Guaíba, pela importância dessa ponte pra população do Rio Grande do Sul, para o desenvolvimento do Estado e para qualidade de vida dos porto-alegrenses e integrantes de toda a Região Metropolitana. E por ser uma demanda histórica mais de 20 anos”, afirmou Dilma em discurso.

A obra, orçada em R$ 649.622.699, fará a ligação de Porto Alegre ao Sul do Estado, passando pela Ilha do Pavão até a Ilha Grande dos Marinheiros. Além disso, vai conectar rodovias de integração nacional. A ponte também servirá para desafogar o tráfego na única ponte que hoje garante a travessia do Guaíba. A expectativa é de que 50 mil veículos utilizarão diariamente a nova ponte.

De acordo com o projeto do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), apresentado em novembro de 2013, a estrutura começará na rua Dona Teodora, no bairro Humaitá, em Porto Alegre. A localização é entre a atual ponte e a BR 448, a Rodovia do Parque. No local, serão erguidas as alças que passarão por cima da BR 290, a freeway. Dali, a ponte começará efetivamente ao passar pelo Canal do Furadinho, seguindo até o Saco do Cabral, passando sob a Ilha do Pavão. Só depois deste percurso, entrará na Ilha Grande dos Marinheiros. Neste ponto haverá um grande impacto porque se interligará à atual ponte, em direção a Guaíba.

A nova onte terá 1,9 quilômetros de extensão em um total de 7,3 quilômetros, considerando acessos e elevados. Em cada sentido, haverá duas faixas de trânsito de 3,6 metros, refúgios central e lateral de, no mínimo, 1,20 metro, acostamento de, no mínimo, três metros de largura. A obra vai utilizar um total de 170 metros cúbicos de concreto e irá consumir 17,6 mil toneladas de aço. A previsão é de contratação de 1,1 mil operários.
 
 
Fonte: Correio do Povo 

 

Ufrgs promove debate sobre impacto da ditadura militar

Encontros ocorrem desta terça à sexta-feira em Porto Alegre

Jornalista Luiz Cláudio Cunha participa na quinta-feira
Crédito: Luis Gonçalves / CP Memória 
 
A Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da Ufrgs (Fabico) promove, desta terça-feira à sexta-feira, um encontro para pensar o impacto da ditadura sobre a memória e a comunicação, durante meio século, no Brasil e no Mercosul. As inscrições para o ciclo de debates “As mídias, as marcas, os arquivos: 50 anos do Golpe de 1964” são gratuitas e abertas a toda a comunidade (formulário no blog http://midiasmarcasarquivos.blogspot.com.br). Todas as atividades serão realizadas no Auditório 1 da Fabico (Ramiro Barcelos, 2705), a partir das 18h30min.

A abertura, nesta terça-feira, será com a conferência do diretor do Museo de la Memoria (Rosario, Argentina), Rubén Chababo. À frente da instituição de destacada atuação no resgate à memória da última ditadura militar argentina (1976-1983), ele abordará o tema “Os museus pela memória no contexto da ditadura: experiências e metodologias”. Participam as professoras da Ufrgs Jeniffer Cuty, como debatedora, e Lizete Dias de Oliveira, como mediadora.

O encontro também traz à Capital o diretor do Arquivo Nacional, Jaime Antunes, e o diretor do Instituto de Políticas Públicas e Direitos Humanos do Mercosul (Argentina), Victor Abramovich. O arquivista e historiador Antunes fala sobre “As políticas públicas de acesso nos arquivos da repressão”, e o professor de Direito da Universidade de Buenos Aires, Abramovich, discorre acerca das “Políticas públicas de direitos humanos relacionadas às ditaduras nos países do Mercosul”. Mediação de Glória Isabel Sattamini Ferreira.

Na quinta-feira é a vez de receber o jornalista Luiz Claudio Cunha, introduzindo o tema “O papel da mídia na ditadura brasileira”. Ex-integrante da Comissão da Verdade, ganhou notoriedade ao denunciar, em 1978, o sequestro de dois militantes uruguaios em Porto Alegre, pela Operação Condor. Participam Aline do Amaral Strelow (debatedora) e Cida Golim (mediadora). E, encerrando a programação, sexta tem o painel “Mídias alternativas - Permanência do aparato repressivo na imprensa”, com Gustavo Türck, do coletivo Catarse, e Marina Amaral, da Agência Pública de Jornalismo Investigativo. Mediação de Igor Natusch.
 
 
 
Fonte: Correio do Povo 

 

Valesca Popozuda divulga foto nua em campanha contra estupro

Na imagem, funkeira segura bastão de beisebol

A funkeira Valesca Popozuda entrou na campanha contra o estupro e chamou atenção ao postar uma foto nua no Instagram na noite desse domingo. Na imagem, a cantora aparece segurando um bastão de beisebol. “De saia longa ou pelada, não mereço ser estuprada”, escreveu.

A campanha virtual com a hashtag #nãomereçoseresuprada teve início na quinta-feira após pesquisa divulgada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). De acordo com os dados do Sistema de Indicadores de Percepção Social (SIPS), 65% dos brasileiros concorda com a frase "mulheres que usam roupas que mostram o corpo merecem ser atacadas". Também predominou (58,5%), a ideia de que "se as mulheres soubessem se comportar, haveria menos estupros". Foram ouvidas 3.810 pessoas, de 212 municípios do País.






Fonte: Correio do Povo

Funcionários da CEEE rejeitam proposta e greve continua

Grupo protestou em frente à sede da empresa em Porto Alegre


Grupo protestou em frente à sede da empresa
Crédito: André Ávila
 
No final da manhã desta segunda-feira, os funcionários da Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE) realizaram nova assembleia, decidindo pela manutenção da greve. Na negociação, a CEEE ofereceu aumento do valor do bônus alimentação dos atuais R$ 800 para R$ 845 e do reembolso do plano de saúde de R$ 275 para R$ 295, além da reposição do INPC (5,38%) no salário básico de todas as categorias. Em relação ao bônus alimentação, os profissionais pediram aumento para R$ 1,2 mil, o mesmo valor concedido aos funcionários do Banrisul.

Depois de 21 anos, os trabalhadores deflagraram greve geral nesta segunda. No início da manhã, um grupo de cerca de 100 funcionários das áreas operacional e atendimento protestaram em frente à sede da empresa, na avenida Joaquim Porto Villanova, no bairro Jardim Carvalho. Com faixas e distribuindo material informativo, os funcionários rejeitaram a proposta da empresa na negociação salarial.

Por ser um serviço essencial, o Sindicato dos Eletricitários do Rio Grande do Sul (Senergisul), informou que foram mantidos 30% no atendimento aos clientes (pelo Call Center) e dos serviços de emergência. De acordo com a Senergisul as agências localizadas em Porto Alegre, em Viamão e Alvorada não abriram as portas nesta segunda-feira.

O presidente do Sindicato, Danilo Garcia, destacou que a greve é o resultado de um longo processo de desvalorização dos funcionários. Ele citou, por exemplo, que no ano passado não houve o pagamento do PPR (Programa de Participação nos Resultados). Além disso, os profissionais pedem reajuste no vale-refeição e no plano de saúde.

A CEEE conta com 4,5 mil funcionários, 2 mil atuam na área operacional. Segundo a CEEE, o Senergisul foi o único, entre os 13 sindicatos, que não aceitou a proposta da empresa, dando início à greve. Em nota, o Grupo CEEE informa que está tomando todas as medidas para que os grevistas, no exercício de seu direito de greve, não impeçam os demais trabalhadores de cumprirem suas jornadas.
 
 
Fonte: Mauren Xavier / Correio do Povo 

 

Corpo esquartejado é encontrado em contêiner de lixo

Cadáver foi descoberto por mulher no Centro da Capital

Crédito: Fabiano do Amaral / CP
Um cadáver esquartejado foi encontrado, no final da noite deste domingo, em um contêiner de lixo, na avenida Alberto Bins, em Porto Alegre. O crime macabro foi descoberto por uma coletora de material reciclável, que buscava sustento no recipiente.

A mulher achou a cabeça por volta da meia-noite. Ela chamou a Brigada Militar (BM), que acionou a Polícia Civil e o Instituto-Geral de Perícias (IGP). Ao averiguar o conteúdo do contêiner, os policiais encontraram braços, pernas e tronco, enrolados em panos e ensacados, parte a parte, em sacos de lixo pretos.

O crime chamou a atenção de moradores de prédios entre as ruas Barros Cassal e Conceição, pela cena bizarra. Também despertou a curiosidade de garotas de programa que trabalham numa boate próxima. Elas indicaram para a Polícia que a vítima seria um panfleteiro de boates conhecido como Carcará.

Para o delegado João Paulo de Abreu, o mistério sobre a autoria e a motivação somente serão esclarecidos com a coleta de mais testemunhos e de resultados periciais. Havia colchas e outras roupas de cama envolvendo as peças do cadáver. Preliminarmente, o IGP avaliou que morte teria ocorrido cerca de 6 horas antes do encontro do corpo. O caso está com a 2ª DHPP.
Fonte: Luiz Sérgio Dibe / Correio do Povo 

 

domingo, 30 de março de 2014

Lembre-se


Mulher é degolada e queimada no Litoral Norte

Vítima ainda não foi identificada e não há suspeitos para o crime

Com claros sinais de crueldade, o corpo de uma mulher, ainda não identificada, foi encontrado neste domingo em Osório, no Litoral Norte. De acordo com a Polícia Civil, a vítima, que foi degolada e queimada, estava próximo à jazida, junto à Estrada do Mar (ERS 389).

Segundo os policiais que atenderam a ocorrência, após uma denúncia feita por telefone, apesar de estar com o corpo carbonizado, foi possível avaliar, preliminarmente, que a mulher, com idade aparente entre 16 e 18 anos, estava com vários cortes na garganta e pescoço, os ferimentos, possivelmente, foram provocados por uma faca.

Ainda não há informações sobre a causa da morte, tampouco suspeitos para o ato. O caso está sendo investigado pela Polícia Civil.


Fonte: Rádio Guaíba 

Homem baleado é socorrido a duas quadras da Arena

A suspeita é de que o homem, identificado como Rafael Batista, tenha atirado sem intenção em si no momento em que manuseava o revólver calibre .38

No início da tarde deste domingo, um veículo ingressou na rua Normelina Lemes Muniz, no bairro Farrapos, em Porto Alegre, a duas quadras da Arena. O condutor estava ferido com arma de fogo. O motorista saiu do carro cambaleando e pediu ajuda aos moradores das proximidades. Torcedores do Inter ajudaram a vítima e a encaminharam ao Hospital Cristo Redentor (HCR). O interior do carro do homem baleado estava coberto de sangue.

A suspeita inicial de que um corpo estivesse no porta-malas foi descartada pela Brigada Militar (BM). O homem, identificado como Rafael Batista, teria atirado sem intenção em seu corpo no momento em que manuseava o revólver calibre .38.


Fonte: Rádio Guaíba 

Regime Militar deu golpe na educação do Brasil

Nos 50 anos da tomada de poder pela Ditadura, professores avaliam os prejuízos para o ensino

Crédito: André Ávila 
 
Na noite do dia 31 de março de 1964, o regime político vigente no Brasil sofreu um golpe. Mas o País seria golpeado muitas vezes até 1985. Para permanecer no poder, os militares prendiam, torturavam e manipulavam. A censura aos meios de comunicação limitou o acesso à informação dos brasileiros e também foi aplicada nas escolas, causando prejuízos com reflexos até hoje.

Enquanto nos porões da ditadura, os que se opunham ao governo eram até mesmo mortos, na superfície, a tentativa era mostrar que o Brasil estaria vivendo um milagre econômico. A campanha ufanista da época encorajava a população a acreditar que vivia em um país do futuro, sem saber detalhes da repressão, ou de dados que desfavorecessem o regime.

Certos livros considerados subversivos por qualquer motivo eram retirados do conteúdo bibliográfico dos colégios e das universidades. Os professores precisavam ficar atentos ao que falavam por medo de alunos e colegas infiltrados. O recado para se calarem era enviado através do sumiço de outros docentes. Além disso, houve reformas e inclusão de disciplinas com teor nacionalista. A mudança nos currículos na década de 1960 criou duas novas matérias: Educação Moral e Cívica e Organização Social e Política do Brasil (OSPB). O objetivo era transmitir a ideologia da Segurança Nacional.

“Aparentemente, estávamos vivendo uma normalidade, mas nós sabíamos que não era bem assim”, descreve a professora de História, Ione Osório, 76 anos. Mãe de três filhos pequenos na época do golpe, dava aula na Escola Estadual Cristóvão Mendonza Caxias do Sul e, mais tarde, no Colégio Estadual Júlio de Castilhos, o Julinho, em Porto Alegre. Ela lembra que a inclusão das duas novas matérias foi motivo de discussão, porque delegados de fora do colégio foram incumbidos de ministrar as aulas. “O currículo era para dar a aparência de que o Brasil era um modelo sob a gestão daquele governo, mas a estatística não era verdadeira. Os números eram maquiados, inclusive o de reprovados”, comenta. “Eu era coordenadora da História do Julinho e lutamos para que os próprios professores da escola dessem essas aulas. Dessa forma, adaptamos o currículo”, lembra esboçando um sorriso ao recordar da forma que encontrou para driblar o governo e de transformar a emenda das duas cadeiras nacionalistas em conteúdos de História do Brasil e de Geografia, transmitidos de forma mais crítica.

Censura em sala de aula

Na Serra, logo no início do regime, a professora lembra uma ocasião em que ensinava regimes políticos. “Passava alguns exemplos do que acontecia no mundo e no Brasil”, conta. Ela ressalta que mencionava o que ocorria no país, mas não colocava o conteúdo da aula no papel por temer ser chamada pelos militares para dar explicação. “Sabíamos que muitos professores e alunos eram ligados ao regime e havia infiltrados”, diz. Essa era outra maneira de contornar a censura. Porém, um estagiário distribuiu à classe um programa não oficial. “Eu havia orientado que não colocasse no papel, mas acho que ele quis se expressar. A cópia em mimeógrafo foi parar no Comando do Exército e, depois disso, ele sumiu. Não concluiu o curso de História na universidade”, descreve sem conseguir controlar as lágrimas, enquanto lembrava também da detenção de cinco alunos.

Atualmente Ione é presidente da Fundação de Apoio ao Colégio Estadual Julio de Castilhos e voltou a uma das classes onde ministrava História para contar sobre os anos de chumbo. “Aqui no Julinho, a resistência era mais aberta, mas também havia na escola delegados do Departamento de Ordem Política e Social (Dops). O Grêmio Estudantil foi extinto”, diz.

Memória da Ditadura ainda é recuperada
Segundo a professora, em razão da tentativa de controlar a informação, a memória sobre aqueles anos, só foi recuperada depois. “Nem nós que tínhamos interesse, sabíamos de tudo que ocorria”, declara, afirmando que a maioria da população só passou a tomar pé da situação, na década de 1980, após a abertura. “Até hoje, muitas coisas não foram elucidadas e ainda estamos descobrindo. A história nunca termina”, observa. “Acho importante tudo o que leva à verdade, mesmo que seja tarde.”

Regimes autoritários exaltam o nacionalismo

A professora de pós-graduação da Faculdade de Educação da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (Pucrs), Maria Helena Bastos, assegura que todo regime autoritário costuma exaltar o nacionalismo e criar o sentimento de nação. Para ela, algumas mudanças no currículo foram responsáveis pela implementação de métodos que não estimulavam o pensamento crítico. “Formamos jovens para marcar cruzinhas”, descreve, avaliando que esse tipo de ensino não mudou muito efetivamente de lá para cá.

Lembra ainda que os acordos e reformas não foram exclusividade do Regime Militar. Algumas versões já haviam sido ensaiadas. “Os acordos já vinham sendo gestados antes”, diz.

Maria Helena observa que indiscutivelmente o controle à informação representou uma lacuna e atrasou o ensino. Eram diferentes formas de repressão, incluindo a proibição de livros, programas de TV e filmes. “Lembro de ler livros encapados”, diz. Porém, pondera que a censura sempre fez parte da história do Brasil desde o Império. “Portugal filtrava tudo o que vinha para cá”, afirma.

Contudo, observa que os malefícios do período militar ao ensino são relativos, já que houve alterações positivas no ensino universitário e de pós-graduação através de alguns acordos, por exemplo. Ela também lembra que houve expansão entre 1973 e 1985 da matrícula nas escolas em torno de 40%, apesar de essa ampliação do acesso não vir acompanhada de qualificação. “A memória tem sempre dois lados.”

Queda da qualidade do ensino público

Para o autor do livro Golpe na Educação, professor Luiz Antonio Cunha, as políticas educacionais durante o governo militar tinham o objetivo de cristalizar uma ideia de que a sociedade estaria em processo de degeneração. “A concepção da educação pública como elemento de regeneração da sociedade é herdada tanto do cristianismo, quanto do positivismo”, analisa. Por isso, foi reforçado o ensino religioso e, implementadas disciplinas com cunho nacionalista.

Outra vertente, explica o sociólogo, doutor em Filosofia e mestre em Planejamento Educacional, Luiz Antonio Constant Rodrigues da Cunha, foi a concepção de que o ensino seria um instrumento de acumulação de capital. “Se plantou essa ideia naquela época. Isso cresceu e deu muitos frutos colhidos até hoje”, ressalta. As consequências, segundo ele, foram subsídios para o fortalecimento do setor privado em todos os níveis. “Secretarias de educação foram assumidas por empresários em muitos estados, que fizeram com que a qualidade caísse nas escolas públicas”, observa. No período, também houve queda nos salários do Magistério. “Isso forçou uma demanda de educação privada”, afirma.

Em Minas Gerais, por exemplo, a lei determinava que para se abrir uma escola pública era preciso que o sindicato dos professores de escolas particulares estivesse de acordo. “A duras penas, o governo Tancredo Neves conseguiu mudar e legislação em 1983”, salienta.

O resultado foi o aumento da desigualdade. “É das mais fortes que já vi no mundo”, conta. “Até o Golpe, em todos os estados, as escolas públicas eram as melhores. Podia ter escola privada tão boa, mas não melhor do que as públicas. Depois a situação mudou”, declara, dizendo também que os quadros escolares nunca mais voltaram a ter o mesmo padrão. “Hoje a escola pública se transformou em escola para pobre e de má qualidade, com exceção de instituições federais e escolas técnicas”, diz.

Por outro lado, Cunha menciona, assim como a professora Maria Helena, que o ensino superior cresceu bastante na Ditadura. “Se criou um Frankenstein educacional: ensino público superior de alta qualidade e ensino fundamental e médio de baixa qualidade. Incongruente”, avalia.




Fonte: Karina Reif / Correio do Povo 

 

Comissão Nacional da Verdade vai propor criminalização da homofobia

Durante a ditadura, homossexuais eram levados presos a pretexto de contravenção penal por "vadiagem"

A Comissão Nacional da Verdade (CNV) poderá incluir no relatório sobre as violações dos direitos humanos, no período da ditadura militar (1964-1985) a ser concluído, no início do segundo semestre, a proposta de criar penalidades contra atos homofóbicos. A informação foi dada pelo cientista político Paulo Sérgio Pinheiro, um dos membros da CNV, presente na audiência pública Ditadura e homossexualidade no Brasil ocorrida no sábado, no Memorial da Resistência.

“Vinte e cinco anos depois da Constituição de 1988 não existe uma legislação que puna o delito de discriminação por homofobia”, disse Pinheiro. Ele acrescentou que no período em que foi baixado o Ato Institucional nº 5 (AI-5), em 13 dezembro de 1968, houve um freio ao movimento contra a discriminação por orientação sexual.

Entre os participantes da audiência, o pesquisador da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC),Rafael Freitas informou ter tido dificuldades para obter dados oficiais sobre as torturas, perseguições e outras atrocidades sofridas pela militância - Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transsexuais e Transgêneros naquele período, após cinco anos, os arquivos podem ser expurgados. Segundo ele, os apontamentos que conseguiu relativos às ações desenvolvidas em São Paulo, dizem respeito à política de repressão durante os governos de Paulo Egídio e Paulo Maluf, entre o final da década de 70 e o início de 1980.

O pesquisador relatou na audiência que uma portaria de 1976 criou no âmbito do 4º Distrito Policial, localizado na região central foi usada para perseguir homossexuais, que eram levados presos a pretexto de contravenção penal por vadiagem e, depois, obrigados a declarar quanto ganhavam, e em alguns casos, passavam também a ser vítimas de extorsão. Além disso, continuou, quando a Secretaria de Segurança Pública, tinha sob o seu comando o coronel Erasmo Dias, “muitos travestis cortavam os pulsos para evitar a prisão”.

Era a Operação Limpeza, desenvolvida pelo delegado José Wilson Richetti, em maio de 1980, com o propósito de prender homossexuais, travestis e prostitutas, no centro da capital paulista, e mais de 1.500 pessoas foram detidas, esclareceu James Green, homossexual norte-americano, professor de história e cultura brasileira na Brown University, nos Estados Unidos.

Ele vivia no Brasil, no final da década de 70 e ajudou a organizar a primeira parada gay do país , em 13 de junho de 1980, contra o fim da repressão policial. “Os movimentos buscavam convencer a sociedade a aceitar que pessoas do mesmo sexo pudessem se amar e reivindicar os seus direitos. Havia um estado de terror e as pessoas tinham medo de se organizar”, disse.

No Itamaraty, exemplificou, havia uma campanha para expulsar do órgão aqueles que eram considerados subversivos, viciados em álcool e homossexuais. Já, no Rio de Janeiro, ”existia uma paranoia contra os bailes à fantasia no Teatro Municipal do Rio de Janeiro porque consideravam um lugar de homossexuais que se fantasiavam de roupas luxuosas para o concurso”.

De acordo com ele havia preconceito até mesmo entre os esquerdistas, condição que só começou a mudar após o período do exílio por conta do movimento internacional protagonizado pelo jornalista, escritor e político Fernando Gabeira.


Fonte: Agência Brasil 

Restrição de circulação de carroças entra em nova etapa na terça

Programa de Inclusão Produtiva na Reciclagem ajuda na inserção profissional a condutores de carroças e carrinhos

Crédito: Ocimar Pereira / PMPA / CP
 
Iniciada em setembro do ano passado, a restrição de circulação de carroças e carrinhos em Porto Alegre entrará em uma nova etapa a partir da próxima terça-feira, 1º de abril. Na data, será implantada a restrição na chamada zona 2, que abrange as regiões administrativas Eixo Baltazar, Leste, Nordeste, Noroeste e Norte.

Em contrapartida à proibição de circulação desses veículos nas regiões, a prefeitura está incrementando as ações do Todos Somos Porto Alegre – Programa de Inclusão Produtiva na Reciclagem na área da zona 2. A restrição está prevista na Lei 3.581/08, que determina a retirada dos veículos de tração animal e de tração humana do trânsito da cidade até junho de 2015.

Todos Somos Porto Alegre
O programa é desenvolvido com o objetivo de possibilitar inserção profissional a condutores de carroças e carrinhos. Hoje, mais de 1,7 mil carroceiros e carrinheiros estão cadastrados no programa, que oferece cursos de formação profissional e encaminhamento para vagas de trabalho. Ao se inscrever nos cursos, os trabalhadores têm a possibilidade de receber bolsa de estudo no valor de um salário mínimo – R$ 724,00 por mês –, cesta básica mensal e vale-transporte. A carga horária da qualificação é de quatro horas diárias, com duração média de três meses.

Também está previsto o pagamento de indenização para carroça e carrinho entregues ao programa. Para carroças, a indenização é de R$ 1,5 mil. Para carrinhos, R$ 200,00. O programa prevê ainda reformas e construção de seis unidades de triagem.

Bairros da zona 2
Região Noroeste: Boa Vista, Cristo Redentor, Higienópolis, Jardim Itu, Jardim Lindóia, Jardim São Pedro, Passo D’Areia, Santa Maria Goretti, São João, São Sebastião, Vila Floresta e Vila Ipiranga

Região Leste: Bom Jesus, Chácara das Pedras, Jardim Carvalho, Jardim do Salso, Jardim Sabará, Morro Santana, Três Figueiras e Vila Jardim

Região Norte: Sarandi

Região Nordeste: Mário Quintana

Região Eixo Baltazar: Passo das Pedras e Rubem Berta
 
 
 
Fonte: Correio do Povo 

 

Edital de licitação do transporte coletivo da Capital será publicado nesta segunda

Critério para escolha do vencedor será o menor valor da tarifa

A prefeitura de Porto Alegre publica nesta segunda-feira, o edital de licitação do transporte coletivo por ônibus na Capital que será disponibilizado no site da Prefeitura. A publicação do extrato ocorrerá no Diário Oficial de Porto Alegre (DOPA) e em veículos da mídia impressa, de circulação regional e nacional.

A licitação foi construída a partir de contribuições da população nos encontros do Orçamento Participativo (OP), com a participação de cerca de 1.700 pessoas, em 24 reuniões realizadas nas 17 regiões da cidade.

Ar-condiconado A inclusão de ar-condicionado em toda a frota foi contemplada no edital. Outra previsão no edital será a redução do número de passageiros por metro quadrado. O edital prevê, também, instrumentos de monitoramento para controle da qualidade do serviço prestado, mediante o cumprimento de metas. O não cumprimento destas metas acarretará a aplicação de penalidades. A bilhetagem eletrônica e a comercialização dos créditos serão gerenciadas pelo poder concedente. As propostas serão recebidas no dia 3, às 10h, na sede da EPTC, rua João Neves da Fontoura nº 7.

O serviço de transporte será dividido em três lotes. Poderão participar empresas de forma isolada ou reunidas em consórcios. As interessadas poderão apresentar proposta em todos os lotes, mas somente poderão ser declaradas vencedoras em um único lote. O critério para escolha do vencedor, em cada lote, será o menor valor da tarifa.

Esta será a primeira licitação na história do transporte coletivo de Porto Alegre, desde a década de 1920, quando foi autorizada a operação de ônibus na Capital. Desde então, o sistema funciona através de permissões. Atualmente são 1.704 ônibus, 400 linhas, operados em três consórcios (STS, Unibus e Conorte), além da empresa pública Carris.


Fonte: Correio do Povo 

Bem certinho =P


Homem morre atropelado por ônibus em Porto Alegre

Condutor do coletivo deu marcha ré e não viu pedestre no terminal da Azenha

Um homem morreu atropelado por um ônibus na manhã deste domingo. O coletivo da linha 178 Praia de Belas, consórcio STS, saía do terminal Turístico Azenha, após o intervalo, quando ocorreu o acidente. Segundo o delegado da Delegacia de Trânsito (Dptran), Airton Martins, o motorista não teria visto a vítima. “Quando ouviu o solavanco, olhou pelo retrovisor e viu o corpo”, explicou. Em princípio, o caso é tratado como homicídio de trânsito, mas o caso deve ser investigado.

A perícia feita no local deve apontar, por meio  de medição, se o condutor poderia ter visto o homem antes de dar a marcha ré. “Ele teria feito o procedimento padrão”, disse o delegado. A vítima, ainda não identificada, estava sem documento e seria flanelinha nas proximidades.

O supervisor da Trevo, Sadi Saldanha, informou que a empresa irá acompanhar o processo e a investigação. “Devemos dar assistência para a família da vítima e ao motorista”, ressaltou. O condutor prestou depoimento à Polícia Civil.


Fonte: Karina Reif / Correio do Povo 

Golpe militar no Brasil completa 50 anos

País discute um dos eventos mais tristes da história para que ele não se repita

Marcha da Família reivindicava liberdade
Crédito: CP Memória
 
Passados 50 anos do Golpe de 1964, documentos e informações sobre um dos episódios mais importantes da história recente do país continuam a ser descobertos. E mais uma leva de seminários, debates, manifestações e eventos especiais característicos das chamadas datas redondas de um acontecimento histórico está em curso. A diferença é que, agora, o debate, dentro e fora da área acadêmica ou dos trabalhos da Comissão Nacional da Verdade, procura esmiuçar a participação da sociedade no golpe. E estabelecer diferenças entre o apoio ao golpe e àquele dado à manutenção do regime militar que se estendeu até os anos 1980.

“Estatisticamente, um número grande de pessoas apoiou o golpe, as prisões, a cassação de mandatos e a intervenção. A adesão à repressão política também era grande. É verdade que esse apoio não era assim tão sólido. Mas muita gente aderiu à ideia de que havia um risco político grave da parte de uma esquerda revolucionária comunista”, afirma o professor do Departamento de História da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Rodrigo Patto Sá Motta.

Autor de livros que tratam sobre o anticomunismo no Brasil, o golpe e a ditadura militar, Motta trabalha no momento com pesquisas de opinião feitas no país entre os anos de 1964 e 1965, que apontam para o apoio social à derrubada do então presidente João Goulart. Mesmo entre especialistas, porém, não há consenso sobre o apoio e participação massiva da sociedade.

“Prefiro dizer que o golpe foi empresarial militar com participação efetiva de uma parcela da sociedade. É importante começarmos a fazer uma caracterização mais profunda desta categoria chamada civil, um termo que, aliás, foi cunhado pelos militares. É sobre estes pontos que está centrado o debate atual sobre o golpe”, diz a coordenadora de Documentação do Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil (CPDOC) da Fundação Getúlio Vargas, Martina Spohr. 

Com estudos a respeito do papel desempenhado pelo Instituto de Pesquisa e Estudos Sociais (Ipes) à época do movimento que tirou João Goulart da Presidência e sobre a rede de relações anticomunistas então existentes no país, Spohr questiona o peso dado a pesquisas de opinião e grandes eventos. "Pesquisas de opinião podem passar uma ideia falsa. Da mesma forma, dizer que um episódio como a Marcha da Família, que aconteceu em um momento de muito tensionamento, ilustra o apoio da sociedade, é reduzir o debate."

Influência americana ainda é dúvida

A análise sobre os atores e o momento político e social do golpe de 1964 e suas consequências está, admitem os próprios especialistas, ainda em seu início. A proximidade dos fatos (50 anos são quase nada em termos históricos), a série de fontes documentais ainda não consultadas ou abertas e as relações com o contexto internacional estão entre os fatores que vão prolongar o debate sobre o golpe.

No contexto interno, para quem examina documentos, a tomada do poder pela força parecia ser uma questão de tempo nas décadas que antecederam 1964, com os diferentes campos políticos à esquerda e à direita acusando-se mutuamente de tentativas de golpe.

O Brasil de 1964 tinha o que se chama de 'tradição republicana democrática' quase insipiente. Menos de três décadas antes, Getúlio Vargas mantivera o país sob ditadura por um período de sete anos. E, mesmo depois dela, havia voltado ao poder eleito pelo voto popular. Os militares, por sua vez, ocupavam papel central no jogo político desde que, 75 anos antes, haviam posto fim ao Império e instituído a República no que parte dos especialistas também aponta como um golpe.

Pesquisadores como Caio Navarro de Toledo e Argelina Cheibub Figueiredo chamam a atenção para o fato de que, no contexto interno, o confronto entre os grupos políticos concorrentes se tornou tão acirrado em 1964 a ponto de, para estes grupos, parecer impossível resolver a disputa dentro das regras do jogo democrático. Essa 'sensação' deu fôlego ao batido argumento de que para fortalecer a democracia era preciso romper as regras democráticas. Que, mais tarde, se transformou na tese do contragolpe preventivo.

No contexto externo, os estudos se concentram na participação direta ou indireta dos Estados Unidos nos acontecimentos da época e na influência de autoridades norte-americanas na preparação e na consolidação do regime militar. No período em que o mundo vivia a Guerra Fria, os países precisavam cerrar fileiras ao lado dos Estados Unidos ou da então União Soviética.

Para completar o quadro, também se multiplicam pesquisas sobre a diferenciação entre o apoio ao golpe e àquele dado à ditadura que se seguiu. "É preciso que se diga que a partir de 1968 muitos dos que haviam apoiado o golpe passaram a criticar o regime, mas que, em diversas situações, as críticas eram de viés econômico, e não em relação à repressão. Há diferenças que não podem ser agrupadas", alerta a historiadora Martina Spohr.
 
 
Fonte: Correio do Povo 

 

Pesquisa aponta que 65% dos brasileiros acha que a mulher que mostra o corpo merece ser atacada

sábado, 29 de março de 2014

Enfim...


Ciclista morre atropelado em Arambaré

Acidente ocorreu na área rural do município da região central do Estado

Um ciclista morreu depois de ser atropelado por uma caminhonete na estrada Terra Dura, localizada no interior da cidade de Arambaré, no Centro Sul do Estado. O adolescente Wesley de Freitas Costa, de 15 anos, chegou a ser socorrido, mas morreu a caminho do hospital, ainda na noite dessa sexta-feira.

O condutor foi levado para a Delegacia de Polícia e alegou que Wesley fazia manobras na via antes de ser atingido. A estrada é de chão batido.


Fonte: Rádio Guaíba

Nova ponte do Guaíba gera apreensão em famílias

Construção demanda remoção de 850 famílias de região próxima à obra

Jesus Severo Desidério e a esposa, Regina, estão preocupados com a falta de informação
Crédito: André Ávila
 
O primeiro local a sofrer o impacto com a construção da nova ponte do Guaíba será o entorno da rua Dona Teodora, em Porto Alegre, às margens da freeway. Nesse ponto, será inicialmente feita a terraplenagem e pavimentação para a construção das alças que darão acesso à ponte. Para isso, porém, será necessária uma das etapas mais complexas do projeto: a remoção de famílias.

No projeto total — que envolve os moradores das vilas Areia e Tio Zeca e da Ilha Grande dos Marinheiros — serão 850 famílias removidas. Boa parte delas foi pega de surpresa com o anúncio, nesta semana, da presidente Dilma Rousseff sobre o início imediato das obras. Mas o maior problema agora é a falta de informações sobre a remoção, que gera dúvidas e provoca receios entre os moradores. “Até agora ninguém avisou nada. Se for para um lugar melhor onde podemos criar os filhos e os netos, tudo bem. Aqui não há os serviços mínimos nem estrutura adequada para se viver”, comentou Jesus Severo Desidério ao lado da esposa, Regina. Os dois filhos do casal, Paulo e Lilian, têm casas na Vila Areia, onde moram há dois anos. “Gostaríamos que nos avisassem com antecedência para onde seremos removidos, mas até agora nada”, disse Jesus.

O sentimento não é muito diferente do outro lado do Guaíba. Na Ilha Grande dos Marinheiros, o assunto de remoção não é novo, mas há dúvidas entre os ribeirinhos. “A discussão não é atual. Só que o impacto vai além da simples retirada de famílias”, comentou o líder comunitário Juramar Vargas. Ele disse que, além das casas, para a construção da ponte será necessário derrubar o galpão de reciclagem, que é fonte de renda para boa parte dos moradores. No espaço também há uma área de lazer da comunidade, uma casa comunitária e, em frente, o Santuário de Nossa Senhora Aparecida.

Outra preocupação, explicou Vargas, é que o governo tente colocar todas as 850 famílias – somando as da Ilha e das vilas Areia e Tio Zeca – no mesmo local. “Isso não vai dar certo. Cada comunidade tem características próprias. Não podem simplesmente pôr tudo no mesmo pacote.”

A obra será de responsabilidade do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). A remoção será feita pelo governo federal. Porém, não há definição ainda de onde eles serão instalados. A ideia é que primeiro as famílias sejam removidas para um local provisório para depois seguir para um definitivo. Os novos detalhes serão apresentados pela presidente Dilma Rousseff após a cerimônia de assinatura do contrato no Palácio do Planalto, em Brasília, nesta segunda-feira.

Fonte:  Correio do Povo

 

Venezuela atualiza para 37 os mortos em protestos no país

Ministério Público investiga 81 violações a direitos humanos e registra 168 pessoas presas

Crédito: George Castelano / AFP / CP
 
A procuradora-geral da Venezuela, Luísa Ortega Diaz, informou nesta sexta-feira que subiu para 37 o número de mortes ocorridas em meio aos protestos registrados nas últimas seis semanas no país. O órgão também divulgou que, até o momento, investiga 81 denúncias de violações de direitos humanos. "Há 17 servidores dos corpos de polícia e militares privados de liberdade, três com medidas cautelares substitutivas e sete ordens de detenção ainda não cumpridas", disse a procuradora.

Em uma entrevista coletiva, Luísa Ortega detalhou que, do total de mortos, 29 eram civis e oito militares e funcionários do governo. A quantidade de pessoas feridas também subiu para 559. Ao todo, 379 são civis e 180 militares e policiais. “Há ainda 168 pessoas presas”.

De acordo com ela, o Ministério Público tem orientado os organismos da polícia quanto ao respeito aos direitos humanos, pois "o Estado venezuelano tem como política permanente a cultura de respeito". Aspecto que, no seu entender, deve estar presente nas abordagens policiais das manifestações, em qualquer conflito. A procuradora admitiu que durante os protestos "ocorreram ações individuais de pessoas que fazem parte de um organismo, que cometeram irregularidades. Mas podem ter a certeza de que vamos castigar e sancionar quem for responsável por tais fatos", acrescentou.

Uma das principais queixas do movimento estudantil e de opositores diz respeito a supostos excessos, cometidos pela polícia, na repressão aos manifestantes. Entretanto, além de informar que está orientando os policiais, o governo diz que a repressão é dirigida aos que atuam de forma violenta, com atos de vandalismo e depredações do patrimônio público. Nesta sexta, estudantes de todo o país participaram de uma manifestação convocada pelo governo em Caracas e, além disso, o governo continua com as conferências regionais de paz, com foco nas regiões com maior resistência ao governo.
 
 
Fonte: Agência Brasil 

 

Fãs do Homem Aranha fazem contagem regressiva na Hora do Planeta

Campanha ambiental ocorre na noite deste sábado, no Brasil

Crédito: Yoshikazu Tsuno / AFP / CP

Crianças vestidas de Homem Aranha jogaram a sua “teia de aranha” para a contagem regressiva para a campanha ambiental Hora do Planeta no subúrbio de Tóquio neste sábado. O evento propõe que a população desligue as luzes, esteja onde estiver, 20h30min e 21h30min, em prol de um mundo mais sustentável.

O ator Andrew Garfield, o novo protagonista no cinema da série Homem Aranha, é o embaixador da empreitada, que tem como lema a frase do super-herói, que “com grandes poderes vêm com grandes responsabilidades”. Ele pede que as pessoas usem o seu poder de consciência para salvar, nem que seja por uma hora, o meio ambiente.

A Hora do Planeta foi criado pela WFF em 2007 na Austrália e, desde então, ganhou uma dimensão mundial. Em 2013, o Empire State Building de Nova Iorque, a Torre Eiffel de Paris, o Kremlin de Moscou e o Cristo Redentor no Rio de Janeiro estavam entre os monumentos que apagaram as luzes durante uma hora.

"O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro" estreia no Brasil no dia 1º de maio.



Fonte: Correio do Povo 

 

GUAÍBA: Equipe de professores fecha a programação da Olimpíada de Língua Portuguesa


Secretaria Municipal de Educação de Guaíba organizou uma programação especial para a divulgação da 4ª Edição da OLP-Escrevendo o Futuro
 
No início do encontro, que aconteceu dia 25 de março, na Vitrine Cultural, no Centro Histórico da cidade, os professores foram presenteados com uma linda camiseta como forma de promover a participação do município na Olimpíada de Língua Portuguesa, que acontece desde a 1ª ed. em 2008. Como o tema da OLPEF é "O Lugar Onde Vivo", a programação foi marcada por um bate-papo com a artista plática, Hannah Beinecke, sobre a exposição Cartografias Desenhadas em que é feita uma análise comparativa entre o corpo humano e o mapa urbano de Guaíba, uma vez que ambos possuem limites definidos e vias de circulação e também falou sobre seus vídeos produzidos com os títulos "Terra é Guaíba, introdução" e "Terra é Guaíba, redescubra". Cássia Rodrigues da Setuc realizou palestra sobre o desenvolvimento histórico, cultural e turístico de Guaíba. Os professores também realizaram um passeio de Jardineira para visitar os pontos turísticos com a excelente guia Janaína Bach. A programação encerrou com a travessia de Catamarã para um delicioso almoço de confraternização no restaurante do Clube do Comércio na capital gaúcha.
 
 
Mais informações sobre a Olimpíada de Língua Portuguesa.
 
Com o tema "O Lugar onde Vivo", a Secretaria Municipal de Educação está organizando a 4ª Edição da Olimpíada de Língua Portuguesa - Escrevendo o Futuro. As escolas municipais e estaduais podem se inscrever até dia 30 de abril pelo site www.escrevendoofuturo.org.br  e os textos serão encaminhados ao MEC até o dia  15 de agosto.

A Olimpíada de Língua Portuguesa é uma iniciativa do Ministério da Educação e da Fundação Itaú Social, com coordenação técnica do Centro de Estudos e Pesquisa em Educação, Cultura e Ação Comunitária (CENPEC). O objetivo do Programa é contribuir para a melhoria do ensino da leitura e escrita nas escolas públicas brasileiras. Para isso são desenvolvidas ações de formação de educadores por meio de cursos presenciais e a distância e realizados um concurso de produção de textos que premia as melhores produções de alunos de escolas públicas de todo o país.

Gêneros que serão premiados:

Poema: para alunos de 5º e 6º Anos do Ensino Fundamental
Memórias Literárias: para alunos de 7º e 8º Anos do Ensino Fundamental
Crônica: para alunos de 9º Anos EF e 1º Ano do Ensino Médio
Artigo de Opinião: para alunos do 2º e 3º Anos do Ensino Médio
Os textos selecionados pelas escolas deverão ser enviados até o dia 15/08/2014, através do Portal da Olimpíada



Final de semana terá o Grito Rock de Guaíba

Pela primeira vez, Guaíba participa do Festival Grito Rock Mundo neste final de semana. O festival é realizado no mundo todo e em 2014 está conectando 400 cidades de 40 países da América Latina, além da Europa, Oceania e África. Como uma alternativa ao carnaval tradicional, este ano o festival acontece entre o período de 20 de fevereiro e 30 de março. 

Com campanhas que abrangem a sustentabilidade, produção, formação, comunicação, linguagens e circulação, o objetivo do Grito Rock é potencializar os eventos em cada cidade e oferecer aos produtores um material de suporte para a ampliação e qualificação dos festivais por meio de cartilhas, tutoriais e ferramentas sistematizadas para facilitar as novas ações. 

O Grito Rock de Guaíba é promovido pela Rede Fora do Eixo e Coletivo ComVida, com o apoio do TNB, Fora do Eixo Card, da Prefeitura de Guaíba e das Secretarias de Turismo e Cultura e de Esporte e Juventude. O evento acontece sábado e domingo e é aberto ao público, como todas atividades gratuitas.

Durante o Festival, haverão expositores do Camelô 2.0, banquinha do Coletivo ComVida, vendendo adesivos, canecas e camisetas do festival e também as campanhas sociais #OCoelhoGrita (troca de um pacote de doces por um adesivo do Festival) e a campanha de arrecadação de instrumentos musicais para o novo projeto do grupo.

Confira a programação:

Sábado (29):

Debate: Música Independente e Mídia, com Domício Grillo (TVE) às 14h no Museu Carlos Nobre.
Oficina: Como ser criativo, com Heryk Slawski às 15h no Museu Carlos Nobre.
Oficinas: Estêncil, com Sabrina Brum, às 16h e Malabares, com Pedro Sitta (17h30min)
na Praça da Bandeira.

Shows na Praça da Bandeira - 17h 

Bandas:
Carvalho Voador (Guaíba)
Pupilas Dilatadas (Porto Alegre)
Dead Skatergay (Guaíba)
Visco (Juiz de Fora/MG)
Isidoro Pilsen (Porto Alegre)
Medialunas (Guaíba)

Domingo (30):

Oficinas: Grafitti, com Marcus Gorga às 16hs e Slackline livre, às 17h, na Praça da Bandeira.

Shows na Praça da Bandeira - 16h 

 Bandas:
Madame Querosene (Guaíba)
Spangled Shore (Caxias do Sul)
Neuro Ruptura (Guaíba)
Bleff (São Leopoldo)
Os The Freaks (Guaíba)
La Morsa (Anápolis/GO)



Fonte: Prefeitura Municipal de Guaíba

É HOJE!!! #Imperdível


sexta-feira, 28 de março de 2014

Região sul do Estado irá substituir de mais de 7,6 mil vacinas contra HPV

Doses são do mesmo lote que causou alergia em seis meninas no RS

Pelo menos 7.674 doses da vacina contra o vírus HPV serão substituídas a partir de segunda-feira pela 3ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS). São 22 municípios da área de abrangência na zona Sul do Estado, conforme o titular, Milton Martins. O número equivale a 35% do total de unidades distribuídas na região e pertence ao lote JO13031, o mesmo das doses que resultaram em reações em seis meninas no Estado. A região recebeu 21 mil doses. Martins assegura que não foram registradas reações adversas em nenhuma das 22 cidades até agora, no entanto.

Segundo ele, somente após a substituição na segunda é que a CRS determinará quantas destas doses foram efetivamente aplicadas. A vacinação continua após a troca. “Ficou a critério de cada município suspender ou não a vacinação”, disse. Em Pelotas, decidiu-se pela suspensão da agenda até a chegada do novo lote, do Ministério da Saúde. Segundo a Vigilância Epidemiológica, na cidade, a situação é normal, mas, por precaução, estão sendo recolhidas as doses. Além de Pelotas, integram a área da 3ª CRS Amaral Ferrador, Arroio do Padre, Arroio Grande, Canguçu, Capão do Leão, Cerrito, Chuí, Cristal, Jaguarão, Morro Redondo, Pedras Altas, Pedro Osório, Pinheiro Machado, Piratini, Rio Grande, Santana da Boa Vista, Santa Vitória do Palmar, São José do Norte, São Lourenço do Sul e Turuçu.

Cinco casos de reação foram registrados na Capital, sendo que três meninas, de 13 anos, apresentaram mal-estar, dores e náusea. As outras duas tiveram sintomas semelhantes, mas de menor intensidade. Todas foram atendidas por médico, sem necessidade de hospitalização. O sexto caso foi de uma garota residente em Veranópolis, de 11 anos, que, após ser vacinada, teve crise convulsiva, mas passa bem.

A Secretaria Estadual da Saúde reitera que a vacina é segura e recomendada pela Organização Mundial da Saúde. As seis meninas que apresentaram reação, conforme o órgão, foram vacinadas com doses do mesmo lote, composto por 89 mil unidades e que teve o uso suspenso por precaução. “Os eventos relacionados às reações adversas atípicas estão sendo investigados pelo Programa Estadual de Imunizações junto às equipes que atenderam as crianças. A vacinação não foi prejudicada e continua disponível em todo o Estado conforme o calendário pré-definido”, diz a nota da secretaria.

A meta no Estado é imunizar 80% das 258 mil meninas com idade de 11 a 13 anos até 10 de abril. Já foram aplicadas 113 mil doses. A vacina protege contra quatro tipos de HPV, que pode causar câncer de colo de útero.


Fonte: Correio do Povo 

Pedalada protesta contra mortes de ciclistas na Capital

Grupo com 300 pessoas deixou o Largo Zumbi dos Palmares e seguiu em direção à Erico Verissimo

Crédito: Fabiano do Amaral / CP
 
Pelo menos 300 ciclistas, conforme a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), concentraram-se no Largo Zumbi dos Palmares, no bairro Cidade Baixa, nesta sexta-feira. Eles fazem uma manifestação na avenida Erico Verissimo, depois de uma pedalada no início da noite pela região central de Porto Alegre.

No local do protesto, uma ciclista morreu atropelada na semana passada. Patrícia Silva de Figueiredo, de 21 anos, foi atingida por um ônibus no corredor da avenida. No mesmo dia, Daíse Duarte Lopes, de 19, também morreu ao ser atropelada por um coletivo no bairro Rubem Berta.

O delegado Cristiano Reschke, titular da Delegacia de Trânsito, espera a chegada dos laudos das perícias para confrontar com as versões fornecidas pelos motoristas à polícia. Os dois trabalhadores negaram estar dirigindo acima da velocidade e disseram ter sido pegos de surpresa. Assim como no corredor de ônibus da Erico Veríssimo, o limite de velocidade na Marim Félix Berta é de 30 km/h.

Para confirmar as versões apresentadas, o delegado Reschke espera a perícia do tacógrafo para elucidar a questão. Ao longo da semana, outras testemunhas também prestaram depoimento. O policial abriu dois inquéritos para apurar os crimes de homicídio culposo (quando não há intenção de matar) registrados na quinta-feira da semana passada.  



Fonte: Marcos Koboldt/Rádio Guaíba

 

Três homens ficam feridos após desabamento na zona Sul de Porto Alegre

Vítimas teriam sofrido escoriações após queda de oito metros de altura

Crédito: Fabiano do Amaral / CP
 
Três homens ficaram feridos, no fim da tarde desta sexta-feira, depois de uma laje desabar no bairro Glória, zona Sul de Porto Alegre. Duas viaturas foram enviadas para o local e os bombeiros realizado o resgate das vítimas na avenida Oscar Pereira.

De acordo com a corporação, o trio de trabalhadores cearense trabalhava em um piso a cerca de oito metros de altura quando houve o desabamento. Eles sofreram escoriações e fraturas sendo encaminhados para atendimento de emergência no Hospital de Pronto Socorro.  


 

Dnit evita falar em pedágio para manutenção da segunda ponte do Guaíba

Assinatura do contrato será assinado nesta segunda, no Palácio do Planalto

Vai ser assinado na manhã de segunda-feira, no Palácio do Planalto, em Brasília, o contrato para a construção da segunda Ponte do Guaíba. A passagem vai ser bancada com recursos públicos. Sobre a possibilidade de adoção de pedágio para a manutenção da via, o diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit) disse que "não é uma pergunta (que deva ser feita) ao diretor do Dnit". O general Jorge Fraxe acrescentou que "essa é uma decisão de governo".

O vice-presidente do Movimento pela Segunda Ponte do Guaíba garantiu ontem que há o interesse em se criar uma alternativa para viabilizar a manutenção da estrutura, referindo-se à criação de um pedágio. "Se vocês (imprensa) buscarem declarações passadas vão ver que isso foi dito", comentou Luiz Domingues.

Casas de passagem da prefeitura poderão ser usadas para agilizar transferências de 850 famílias
Logo após a assinatura do contrato, na segunda-feira, a empresa vencedora da licitação e o Dnit vão começar o cadastramento das famílias atingidas. A estimativa inicial é de que 850 precisem ser transferidas. Elas serão colocadas em um condomínio de passagem - a fim de não atrasar a obra - até conclusão das transferências definitivas. Casas de passagem da Prefeitura deverão ser utilizadas para agilizar a retirada.

Ainda não há local para construções provisórias ou definitivas para as famílias. A busca por esses espaços deve começar a partir da assinatura do contrato, na próxima semana. Também deve se iniciar a construção de vigas e outras partes necessárias para a obra sobre o Guaíba. Tudo isso, mais o cadastramento de famílias atingidas, vai ser feito ao mesmo tempo a fim de garantir agilidade, explicou Praxe.

A obra, se tudo correr como o esperado, vai ser concluída em 2017. O general comentou que o prazo é possível de ser cumprido. Admitiu, no entanto, que imprevistos são inevitáveis em construções conduzidas tanto pela iniciativa pública quanto a privada. "Obra é um desafio, um verdadeiro combate", alertou.


Fonte: Samuel Vettori / Rádio Guaíba 

Servidores do Judiciário gaúcho não descartam greve geral

Categoria decretou estado de greve nesta sexta-feira, após assembleia

Servidores do Judiciário gaúcho decretaram estado de greve após assembleia, na tarde desta sexta-feira. A categoria agendou uma paralisação geral de 24h para o dia 9 de abril. O objetivo é atingir as 165 comarcas do Estado. Uma greve geral também não está descartada.

Os servidores exigem um plano de cargos e salários. Além disso, pedem reposição salarial. Segundo os trabalhadores, há perdas salariais de 50% desde os anos 90. O objetivo é obter pelo menos a inflação referente ao ano passado.

“Há uma disparidade muito grande entre os salários dentro do Judiciário. As pessoas não sabem que há uma mínima parcela de servidores que ganham muito. Além disso, as condições são precárias com enormes quantidades de processos e longas jornadas”, ressaltou o diretor do SindjusRS, Fabiano Marranghello. A categoria pede ainda a redução da jornada de trabalho para sete horas.

A última greve ocorreu no fim de 2012 e durou 20 dias, provocando o atraso na tramitação de processos. Os trabalhadores prometem realizar uma paralisação ainda maior se não houver negociação.

Cerca de 300 servidores realizaram protesto em frente ao Tribunal de Justiça no final da tarde desta sexta.


Fonte: Samantha Klein / Rádio Guaíba 

Justiça concede liminar e casas noturnas reabrem no Centro da Capital

Prefeitura de Porto Alegre vai tentar cassar o documento

A Prefeitura de Porto Alegre vai tentar cassar na Justiça as liminares que possibilitaram a reabertura de duas das quatro casas noturnas interditadas em fevereiro no Centro da Capital. O Casablanka e o Sobradinho, localizados na rua Marechal Floriano Peixoto, recorreram ao Judiciário e tiveram parecer favorável para poder voltar a funcionar.

A Procuradoria-Geral do Município (PGM) prepara um dos recursos a ser encaminhado à Justiça. O outro deve ficar a cargo do Ministério Público Estadual, que também monitora as ocorrências policiais registradas no entorno dos bares.

Além dos dois locais, no dia 21 do mês passado foram fechados ainda o Adegas e o Metrópolis, na mesma rua. Os locais tiveram o Alvará de Localização e Funcionamento da Secretaria Municipal da Produção, Indústria e Comércio (Smic) suspenso por solicitação da Brigada Militar, devido à ocorrência de assassinatos e outros crimes dentro ou nos arredores das casas. Segundo dados da BM, desde outubro de 2013, ocorreram cinco mortes e três tentativas de homicídio na região.

Os casos de violência e perturbação da ordem motivaram um acordo entre a Prefeitura, os moradores e os proprietários de estabelecimentos noturnos na região. A Smic promoveu uma audiência pública em 18 de julho de 2013, onde os proprietários das quatro casas se comprometeram a adotar uma série de medidas para controlar a violência e a perturbação do sossego. Entre elas fechar às 3h30min da madrugada (com tolerância de trinta minutos), colocar detector de metais na entrada, instalar câmeras na frente das casas, cobrar ingresso e aumentar a segurança particular dentro e na frente nas casas.

Ficou estabelecido um prazo de meio ano para acabar com as situações de violência e perturbação aos moradores, porém, passados oito meses, segundo a Smic os proprietários não adotaram as medidas acordadas na audiência pública. As reclamações sobre o registro de tiroteios, prostituição infantil, tráfico e uso de drogas, atos obscenos e mau uso das calçadas seguem ocorrendo.


Fonte: Rádio Guaíba 

Para reflexão


Governo do Estado garante que imunização contra HPV é segura

Seis casos de reação à vacina foram registrados no Rio Grande do Sul

Crédito: Juliane Guez/ Divulgação PMPA / CP
 
Após registrar pelo menos seis casos de reação à vacina contra o papiloma vírus humano (HPV), a Secretaria da Saúde do Rio Grande do Sul (SES) informou que a imunização é segura e recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

“A vacina introduzida no calendário brasileiro este ano é também utilizada como estratégia de saúde pública em outros 51 países que já aplicaram cerca de 175 milhões de doses desde o ano de 2006, sem registros de eventos que pudessem pôr em dúvida a segurança da vacina”, destacou a secretaria em nota divulgada nessa quinta.

“A maioria dos eventos associados à vacina é classificado como leve – reações como dor no local de aplicação, edema e eritema (coloração avermelhada da pele) de intensidade moderada”, informou a SES. Dados do governo do Estado indicam que, até o momento, mais de 116 mil meninas, com idade entre 11 e 13 anos, receberam a dose. O número representa 45% do total da população prevista no Rio Grande do Sul, que é de 258 mil meninas.

Os casos
Cinco casos de reação à dose foram registrados em Porto Alegre. Três meninas, de 13 anos, apresentaram mal-estar, dores musculares, dor de cabeça e náusea foram atendidas por um médico, sem necessidade de hospitalização. Todas receberam a vacina na segunda-feira. O sexto caso, foi uma menina de 11 anos que vive em Veranópolis e, após ser vacinada, teve uma crise convulsiva. Ela foi atendida, passa bem e está sob acompanhamento neurológico.

As seis meninas que apresentaram reação, de acordo com o governo do estado, foram vacinadas com doses do mesmo lote, composto por um total de 89 mil doses, que teve seu uso suspenso como medida de precaução.

“Os eventos relacionados às reações adversas atípicas estão sendo investigados pelo Programa Estadual de Imunizações junto às equipes que atenderam as crianças. A vacinação não foi prejudicada e continua disponível em todo o estado conforme o calendário pré-definido.” Os casos estão sendo acompanhados pelo Ministério da Saúde.
 
 
 
Fonte: Agência Brasil 

 

Caminhão colide contra poste e 5 mil ficam sem luz na Capital

Acidente ocorreu nas proximidades da avenida Ipiranga com rua Vicente da Fontoura

Pelo menos cinco mil clientes da Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE) ficaram sem luz nesta sexta-feira devido a um acidente na zona Leste de Porto Alegre. Nessa manhã, um caminhão colidiu contra um poste de iluminação pública na avenida Ipiranga com a rua Vicente da Fontoura. A interrupção ocorreu para a troca da estrutura pela CEEE. O motorista do caminhão ficou levemente ferido com o impacto.


Fonte: Rádio Guaíba 

BC disponibiliza lotes de moedas comemorativas à Copa

Vendas começam em 2 de abril pelo site do Banco do Brasil

Crédito: Banco Central do Brasil / Divulgação / CP 
 
O Banco Central (BC) colocou à venda nesta sexta-feira, nas suas representações, lotes complementares das nove moedas comemorativas brasileiras oficiais da Copa do Mundo, bem como a cartela contendo o conjunto das seis moedas de cuproníquel. Lançadas em 29 de janeiro, as moedas de ouro se esgotaram em dois dias e as demais contam com estoques residuais em algumas representações do BC.

A partir de 2 de abril, as moedas também poderão ser adquiridas no site do Banco do Brasil. Poderá haver limitação do número de moedas a serem adquiridas por pessoa. Nas representações do BC, o pagamento deve ser feito exclusivamente em dinheiro. A liquidação financeira das compras pela internet poderá ser efetuada por boleto bancário ou, se o comprador for correntista do Banco do Brasil, por meio de débito em conta.

A nova tiragem tem 1.800 moedas de ouro, 6 mil de prata e 2.600 de cuproníquel em cartelas individuais, além de 8 mil cartelas-conjunto de cuproníquel. Com a tiragem, somada às quantidades destinadas para o mercado internacional, o BC informou que atinge a tiragem máxima autorizada pelo Conselho Monetário Nacional para o programa de moedas da Copa do Mundo.

A tiragem máxima para moedas de ouro é 5 mil unidades. A cunhagem máxima das moedas de prata e de cuproníquel é 20 mil, para cada uma delas. Os limites por pessoa são uma unidade de ouro, duas de cada tipo de prata, duas cartelas com seis moedas de cuproníquel e cinco unidades por tipo da cartela individual de cuproníquel.
 
 
Fonte: Agência Brasil 

 

Estudantes protestam contra aumento da tarifa de ônibus

Manifestação causou congestionamento nas ruas centrais de Porto Alegre

Estudantes realizaram na manhã desta sexta-feira uma caminhada pelas ruas centrais de Porto Alegre contra o reajuste na tarifa de ônibus, anunciado pela Empresa Pública de Transporte e Circulaçã (EPTC) na terça. O protesto causou congestionamentos nas avenida João Pessoa e Salgado Filho.

Por volta das 9h15min, os manifestantes se concentraram em frente à Prefeitura de Porto Alegre. A estudante do Colégio Estadual Júlio de Castilhos e integrante do Grêmio estudantil, Marcela Pellin, explicou que o ato também é para chamar a atenção dos governantes para a educação. “As escolas em todo Brasil estão precarizadas e isso só vai mudar com a pressão aos governos, que hoje garantem uma Copa do Mundo para os empresários e pra FIFA, mas não garantem uma saúde de qualidade para a população e uma educação de qualidade”, disse. Os alunos do Colégio Júlio de Castilhos tentarão entregar ao governador uma caixa que reúne opiniões sobre como é estudar em escola pública.

Por volta das 10h, os manifestantes se reuniram em frente ao Palácio Piratini, onde representantes das escolas falaram para que o governador Tarso Genro pudesse ouvi-los. Em carta, os estudantes pediram mais investimentos na educação, criticaram a reforma do ensino médio e acusaram o governo de ignorar manifestações anteriores. Além disso, exigiram o fim da criminalização dos movimentos sociais e da repressão violenta que sofrem por parte da Brigada Militar (BM).

* Com informações do repórter Dico Reis da Rádio Guaíba
Fonte: Correio do Povo 

As Melhores Piadas da Semana

Cura da gagueira
- Do-do-doutor – gagueja o paciente – o s-s-senhor pre-pre-precisa me ajudar. Es-es-essa ga-ga-gagueira t-t-tá acabando c-c-comigo!
O médico faz um exame e descobre a causa do problema: o sujeito tem o pênis tão grande, mas tão grande que força a coluna para a frente. E isso afeta as cordas vocais do infeliz. Mas tem remédio: basta amputar 25 centímetros do membro. A operação é um sucesso.
Duas semanas depois, porém, o ex-gago volta ao consultório:
- Doutor, estou desesperado. No começo foi ótimo. Recuperei a confiança perdida. O problema é que minha mulher não anda mais satisfeita, está ameaçando me deixar – e o ex-gago implora – preciso daqueles 25 centímetros de volta, doutor!
O médico:
- T-t-tarde d-de-de-demais, m-m-meu fi-filho!
 ——————————————————————————————————
Santo remédio
A mãe vê o menino tomando um comprimido de Viagra e diz:
- Filho, solte isso!
- Por que mãe? Eu tô com diarreia e preciso de Viagra.
- Mas Viagra não é pra isso!
- Claro que é, eu vejo a senhora dando Viagra pro pai toda noite e ainda fala: “toma isso pra ver se essa m#rda endurece!”
 ——————————————————————————————————
Lavando o bicho
Maria surpreende o marido no chuveiro a se masturbar e diz:
- Mas o que é isto Manuel?
Ele responde:
- Já não se pode lavar o pinto à velocidade que se quer?
 ——————————————————————————————————
Três coisas de chupar
A professora pergunta a Joãozinho:
- Joãozinho, me diga 3 coisas de chupar!
Joãozinho responde:
- Sorvete, pirulito e cueca.
A professora pergunta:
- Joãozinho, eu sei que pirulito e sorvete são de chupa, mas por que cueca?
- É que outro dia, professora, eu ouvi minha mãe falando pro meu pai: “Amor!Amor! Tira a cueca rápido que eu quero chupar!
 ——————————————————————————————————
Pior pai
Um dia, a filha pede para o pai:
- Pai, me empresta a chave da moto?
- Minha filha, até te empresto mas… tu vai ter que dar uma chupada.
- Mas pai, o que é isso, que absurdo.
E saiu irritada.
Chegando na sua amiga diz.
- Amiga meu pai não quis me emprestar a chave.
- Mas por quê? – pergunta a amiga.
- Ele queria que eu chupasse ele para poder pegar a chave.
- E que que tem, a gente ia sair de moto para chupar, transar…
- É né… então vou lá.
Chegando em casa de novo, a filha pede:
- Pai, me empresta a chave da moto?
- É aquilo te eu te falei, minha filha…
- Tá bem, pai.
E quando estava chupando diz:
- Pai, isso tá com gosto de cocô.
E o pai responde:
- Minha filha, é que eu acabei de emprestar a chave do carro pro teu irmão.
 ——————————————————————————————————
O pênis do morto
Duas senhoras que trabalhavam preparando cadáveres, antes do enterro, receberam um corpo para ser preparado. Uma delas, arregala os olhos e diz:
- Você já viu um destes? – referindo-se ao tamanho do pênis do falecido.
A outra responde:
- Meu marido tem um igualzinho!
Ao que a outra, ainda espantada, contra-argumenta :
- Assim grande?
- Não, assim morto!!
 ——————————————————————————————————
Orgasmo feminino
O orgasmo feminino é um fenômeno ultra pessoal e cada mulher o atinge de forma diferente, conforme o seu background e a sua natureza:
1) Asmática: Ahhh… ahhh… ahhh…
2) Geográfica: Aqui, aqui, aqui, aqui…
3) Matemática: Mais, mais, mais, mais…
4) Religiosa: Ai meu Deus, ai meu Deus…
5) Suicida: Eu vou morrer, eu vou morrer…
6) Homicida: Se você parar agora, eu te maaaaatooo!!!
7) Sorveteira: Ai Kibon, ao Kibon, ai Kibon…
8) Bióloga: Vem, meu macho!!! Vem, meu macho!!!
9) Edipiana: Meu pai do céu… ai meu pai… ai meu pai…
10) Professora de inglês: Ohhh… Yes… !!! Ohhh… God…!!!
11) Maluca: Você tá me deixando doida… cê tá me enlouquecendooo!!!
12) Viajante: Eu vou… eu vou… ai… tô chegando… vaiiii…
13) Descritiva: Eu vou gozar, vou gozar, eu tô gozando, tô gozando… gozeeeiiii!!!
14) Negativa: Não… não… não…
15) Positiva: Sim… sim… sim…
16) Pornográfica: Me f#de… isso seu filho da p#ta… me faz gozar, car#lho!!!
17) Serpente Indiana: Ssssss…. Ssssss…
18) Professora: Sim… isso… por aí… agora… exato… assim…
19) Sensitiva: Tô sentindo… tô sentindo…
20) Desinformada: Ai, que é isso? Que isso? Que iiisssso???
21) Analista de sistemas: O.K…
22) Margarina: Que delícia, que delícia…
 ——————————————————————————————————
Rapaz precavido
Um casal de namorados estava no meio de uma transa louca, realmente mandando ver, quando, de repente, ele pára e pergunta para ela:
- Você não tem Aids, não é, minha querida?
- Dá onde você tirou isso, Flávio? Claro que não!
- Ainda bem, porque não quero pegar isso outra vez!
 ——————————————————————————————————
Saudade na zona
Depois de algum tempo viajando, o sujeito entrou numa zona, deu R$ 500 para a cafetina e pediu:
- Eu quero a mulher mais feia da casa e um prato de macarrão bem gorduroso!!!
A madame respondeu:
- Olha cavalheiro, por esse dinheiro, você pode ter uma loura linda e um prato finíssimo!
- Minha senhora, eu não estou com tesão. Eu estou com saudades de casa…
 ——————————————————————————————————
Mulher para corajoso
Uma mulher mal encarada e muito feia, feia demais mesmo, entra numa daquelas lojas de departamento com duas crianças. O gerente da loja pergunta:
- Eles são gêmeos?
A mãe faz uma careta enorme e, por incrível que pareça, fica mais feia ainda:
- Não, idiota. O mais velho tem nove anos e a mais nova tem sete. Por quê? Você acha os dois parecidos, ô seu palhaço?
- Na verdade não – diz o cara – só não entra na minha cabeça que você foi comida duas vezes!

I Etapa da Copa Guaíba de Canoagem

Neste final de semana a Guahyba Associação de Canoagem, em conjunto com a FUNDERGS e a Prefeitura Municipal de Guaíba, estará realizando a 1ª Etapa da Copa Guaíba de Canoagem, evento que será nas margens do Lago Guaíba no centro da cidade.

 A competição vai reunir mais de 100 atletas de diversos municípios do RS, entre eles São Leopoldo, Eldorado do Sul, Gravataí, Santa Tereza, Caxias do Sul, Guaíba, e demais cidades tradicionais na modalidade olímpica. 

O evento começa a partir das 12h30 de sábado (29) com a reunião técnica e o pagamento das incrições e termina no domingo (30) às 17h, com as premiações das provas. A 2ª Etapa da Copa de Canoagem está prevista para outubro de 2014.

Neste sábado rola o"Grito Rock" em Guaíba

Confira a programação:

Sábado (29):
Debate: Música Independente e Mídia, com Domício Grillo (TVE) às 14h no Museu Carlos Nobre.
Oficina: Como ser criativo, com Heryk Slawski às 15h no Museu Carlos Nobre.
Oficinas: Estêncil, com Sabrina Brum, às 16h e Malabares, com Pedro Sitta (17h30min)
na Praça da Bandeira.
Shows na Praça da Bandeira - 17h
 
Bandas:
Carvalho Voador (Guaíba)
Pupilas Dilatadas (Porto Alegre)
Dead Skatergay (Guaíba)
Visco (Juiz de Fora/MG)
Isidoro Pilsen (Porto Alegre)
Medialunas (Guaíba)


Domingo (30):
Oficinas: Grafitti, com Marcus Gorga às 16hs e Slackline livre, às 17h, na Praça da Bandeira.
Shows na Praça da Bandeira - 16h
 
Bandas:
Madame Querosene (Guaíba)
Spangled Shore (Caxias do Sul)
Neuro Ruptura (Guaíba)
Bleff (São Leopoldo)
Os The Freaks (Guaíba)
La Morsa (Anápolis/GO)